Pé na estrada mais uma vez

Categoria(s): Europa, Viagens

Ufa, está chegando mais uma viagem. Desta vez, nada de paisagens de quebra-cabeças ou ainda lugares exóticos. Agora o destino é o velho continente e um descanso mais que merecido (ralei estes meses viu, tá doido!) vendo palácios, museus, praças, monumentos e claro, passando um calor dos diabos.

O roteiro não sai muito daquilo que é legal de se conhecer em um giro pela Alemanha, Áustria e República Tcheca: Frankfurt, Nuremberg, Munique, Salzburgo, Viena, Praga, Berlim e Colônia. Poucas cidades para poder aproveitar bem cada uma delas, caminhar bastante e pedir a Deus para que o final do dia chegue logo. Desta vez, nada de backpacker, nada de McDonald’s (se bem que seria interessante conhecer um em Praga) e muito menos franguinho do KFC (pense numa coisa nojenta!). Ao contrário muita, mas muuuuiiiitaaa cerveja gelada e muito vinho do bom.

Mapa

No meio do caminho, ainda tem stop-over em Bali e Jakarta. Na primeira, escala obrigatória para quem sai do Timor rumo à civilização e a segunda, estratégica para a compra das bugigangas eletrônicas e preparação para dezessete horas de vôo e mais uma escala em Kuala Lumpur. Isso claro, se os malaios não pegaram a gripe aviônica brasileira. Aí meu amigo, só Buda vai saber quando chego em Frankfurt Am-Main.

Mas vai valer a pena. Vou colocar mais alguns países no passaporte, vou poder tomar o famoso Kopi Luwak, subir em mais uma torre (a de Berlim), bater um papo com o Knut no zoológico, conhecer o primeiro campo de concentração alemão (Dachau), ver algumas locações de filmes como Supremacia Bourne, Blade II e Noviça Rebelde e tirar muitas, muitas fotos. Afinal, máquina fotográfica serve para isso mesmo ;)

Entonces já está avisado. A partir de 1º de agosto, nada de post. Parto em pleno inferno astral do Timor-Leste (será a escolha do primeiro-ministro), páro de escrever e parto para vinte dias de descanso. Mais que isso, vinte dias que indiscutivelmente valerão por uma vida toda, afinal não é sempre que podemos estar cara a cara com o futuro escolhido a dedo não é mesmo? Sobre isso… depois conto.