Das coisas que eu não entendo

Hoje, dia 7 de dezembro é feriado em Timor-Leste. Mas semana passada também teve um feriado e isso deixou minha cabeça meio “em parafuso”. Tanto feriado em um país como o Timor? Por quê?

Normalmente (normalmente hein!) feriados são datas para comemorar algo e via de regra, algo bom. Claro, tem suas excessões com o dia do coitado do Índio fodido pelos tugas, dia do negro fodido pelos tugas, dia do descobrimento da terra brasilis… fodida pelos… (é melhor parar senão começo a chorar aqui). Mas existem feriados que são para comemorar mesmo! Por exemplo, o Dia dos namorados!

Ahhh dia 12 de junho. Uma data extremamente importante… para as lojas, farmácias e motéis. As primeiras, empanturram as prateleiras com tudo que é quinquilharia chinesa para os amados; é ursinho de pelúcia, é coraçãozinho que fala (com aquele puta sotaque mandarim), é vibrador colorido, é livro de auto-ajuda. Um luxo só. E as farmácias então? As farmácias renovam seus estoques de KY, camisinhas e claro, pílulas anticoncepcionais pois logo a seguir vem os mais beneficiados da história toda que são os motéis, verdadeiros templos do amor que fazem de tudo para manter aquela fila enorme na porta com uma espera de, no minimo, uma hora. Não é possível que alguém “trabalhe” depois de tanta espera. É melhor aproveitar a fila e começar o primeiro tempo alí mesmo, partir para o intervalo e rezar para que o segundo tempo seja na cama ou, quem sabe, a prorrogação.

E em Timor não é diferente. Dia sete de dezembro é dia de comemorar…. a invasão do país pelos Indonésios! O quê!!!! Caiu o queixo? Pois o meu também caiu quando descobri que eles comemoram o dia que o país vizinho aportou nas areias do país com metralhadoras, bombas e granadas para “sentar o dedo” em quem se atrevesse ficar na frente.

Estarrecido com a notícia, perguntei aos estagiários do ministério porque desta data estranha a se comemorar. Seria mais ou menos como a França ter um feriado para comemorar a invasão da Alemanha na Segunda Guerra ou ainda a própria Alemanha comemorar a entrada da Rússia em Berlim. Como resposta obtive a informação que é preciso “respeitar o passado”. Mais uma vez os parafusos de minha cabeça, já meio enferrujados e tortos resolveram travar de vez. “Respeitar o quê? A matança sumária impretada pelos invasores? Ou o legado de pobreza deixado?” Claro, muita informação para pouco pensamento e fiquei sem uma resposta para a pergunta.

Estas e outras não entendo. Da mesma forma que aqui, no Brasil comemoramos o “Dia do Descobrimento”. Será que precisamos mesmo? Acho que seria melhor trocar o feriado por uma entrada no cinema. A lembrança é melhor se o filme for bom e não temos que ficar com a hipocrisia de lembrar a invasão de nossas terras (pelos tugas), como em Timor-Leste.

3 Comentários

Adicione o seu

  1. Os EUA não ficam atrás em numero de fériados. E Miami melhor nem falar.

    Não é só fériado que assusta, tem monumentos e festas absurdas….
    Como construir uma praça com o nome da mãe do Lula (sem licitação é claro).

    Existem problemas nesse mundo inteiro :)

    Ah! vou corrigir uma gafe minha…. seu blog ainda não estava lá na minha lista pregada com fácil acesso!

    abraços

  2. Acredite, eles tem tanto quanto nós. E emendam de tal forma que chegam a ficar uma semana parados. Um absurdo em um país onde 42% do povo vive abaixo da linha de pobreza e possui 50% da população desempregada. Enfim, creio que é coisa do DNA podre mesmo.

  3. Carol Wieser

    06/12/2007 — 22:10

    Paulino, tá inspirado ein?

    Olha, comemorar a invasão do país pelos indonésios é a kind of weird… mas te garanto que eles não possuem tantos feriados como no Brasil. Oh país para ter tanto feriado como o nosso! Só mês passado teve 2 e sabe que o jeitinho brasileiro faz com que emende logo o restinho de semana… e ai? O pessoal emenda essas datas festivas ?

    Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 13 =