Explicando o óbvio

ÓbvioVivemos numa sociedade estranha. Digo estranha pois para mim ter que explicar o óbvio é algo extremamente estranho. Se é “óbvio” então, é óbvio que não precisa ser explicado mas equivoca-se aquele que, como eu, pensa desta forma. O óbvio precisa ser explicado (e ai ficamos naquela, se é obvio, para que explicar?).

Venho pensando nisso com certa frequência devido as andanças pelo mundo. Por exemplo, é necessário explicar que para entrar em um elevador precisa-se que ele esteja parado no andar? Se o elevador não está lá, não pode-se usar elevador (a menos que pense ser homem-aranha ou superman). E mais, se o elevador não está parado no andar, decerto a porta não abre. Se abre e o elevador não está onde deveria estar, porque cargas d’água entrar? Aliás, não seria entrar, mas sim, “pular”.

E o mais bizarro disso é que existe uma lei que obriga prédios a colocar uma plaquinha ignóbil na porta dizendo isso, ou seja, o óbvio precisa ser explicado.

Pode-se argumentar que existem pessoas desatenciosas e que podem entrar sem que o elevador esteja lá (ele não entra, ele comete suicídio). Tudo bem, deixo passar. Mas e como fica a plaquinha da foto flagrada em um banheiro de uma cafeteria paulistana? Será mesmo necessário dizer para o usuário mijar na privada se ela está na frente da mesma? Nonsense.

Como estas existem milhares por ai explicando o óbvio e que fazem a alegria de muitos (inclusive a minha) quando se observa. Dias atrás encontrei uma também interessante. Num restaurante, os talheres vinham em um saquinho plástico lacrado que continha a seguinte frase impressa: “para usá-los, retire do plástico”. É possível ter alguém que consegue cortar uma picanha com a faca embalada ou ainda pegar uma sopa com a colher dentro do plástico? Vai saber não?

As vezes fico pensativo: será que eu estou muito chato ou o mundo está cada vez com um número maior de estúpidos que precisam de explicação para o óbvio? A pensar…

8 Comentários

Adicione o seu

  1. Ivan Monticelli

    19/05/2010 — 20:28

    Gostei do artigo, é pra se pensar…
    A algum tempo sugeri ao presidente de meu fotoclube que façamos um concurso fotográfico com o tema “obviedades” e me pergunto: O quão óbvia pode ser uma foto sem parecer comum, vulgar, sem graça?
    Seria este em síntese o desafio!

    Abraços

  2. Edwi Oliveira Santos Feitoza

    11/01/2010 — 06:57

    Quer um exemplo que boa parte do brasileiro não tem ciência do óbvio e nem sequer educação? Tem a praça de alimentação do Shoppping Metrô Tatuapé. Era uma sexta-feira. Lotado pra cacete! Eu e um amigo meu fomos pegar um jantar em um restaurante de lá que me fugiu o nome da memória. Lá no shopping, pelo volume de gente e por falta de profissionais para isso, existem depósitos de restos alimentares e bandeja por todos os lados. Assim as pessoas educadas ao terminar a refeição levantam-se da mesa, levam suas bandejas para deixar o espço livre para o próximo cliente e a deposita em uma daquelas lixeiras. Ledo engano…
    Estávamos próximos de uma mesa quando um casal com duas crianças começou a se levantar e… DEIXOU TUDO ALI PARA NÓS MESMOS RECOLHER OS RESTOS ALIMENTARES DELES!!! E isso acontece com uma frequencia inacreditável naquele shopping e em outros.
    A população perdeu há muito o senso de educação. Basta ver pessoas em coletivos jogando dejetos pela janela (mesmo tendo uma lixeira ao lado), o mesmo em carros, ruas, locais públicos… Ou quando um cidadão entra no seu carro, acha que está em casa e começa a fumar. Isso é dose!

  3. Teobaldo Sudeste

    19/09/2009 — 22:00

    Explicar o óbvio serve pro dono do lugar poder falar “eu avisei” quando o sujeito faz a burrada e depois põe a culpa nos outros, dizendo que não sabia. Tipo aquele caso clássico da americana que processou a fábrica de lavadoras de roupa porque “não sabia” que não podia lavar o gato dela lá. Fazer o quê?!?

    PS: o mundo está, sim, com muito mais estúpidos do que você ou eu podemos imaginar…

  4. Eltern de Asis

    18/09/2009 — 20:55

    A ignorância nao é “addon” opcional para muitas pessoas.

  5. A placa do elevador, por mais imbecil que seja, é lei :)
    Prá ver como nossos legisladores são realmente ocupados e preocupados com a população. Não vou me assustar se um dia mandarem imprimir instruções no papel higiênico: Vai ser uma merda :D

  6. Já ouviu algum brasileiro falando em cultura e educação (não aquela que o Lula sempre diz que vai melhorar, mais aquela que dizem vir de casa) ? poisé, brasileiros tem mania de esquecer as coisas. =D

  7. Leonardo Saraiva

    17/09/2009 — 23:31

    Mas ter a placa de verificar se o elevador não está lá, na minha opinião, é tosca… se a pessoa não consegue verificar se o elevador está lá… imagine ver uma placa!!!

  8. Marcelo Silveira

    17/09/2009 — 20:58

    Sua falha está em achar que o brasileiro médio tem educação e/ou bom senso. Infelizmente a realidade é outra.

    Pra mim, pior do que a placa no banheiro, é o banheiro imundo mesmo tendo a placa.

    []s

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − oito =