Mulheres

Não entendo muito esta coisa de “Dia da Mulher”. Acho extremamente preconceituoso e muito machista. Excluíndo-se a questão histórica da data (sim, eu sei sobre o incêndio em Nova York), acredito piamente que todos os dias são Dia da Mulher, afinal, você que é homem, fale a verdade, tem como imaginar a vida sem elas? Impossível não?

Para comemorar este dia, escolhi uma poesia daquele que acredito ser o poeta que mais conheceu as mulheres. Pablo Neruda, prêmio Nobel de literatura e um comunista das antigas certamente foi aquele que mais escreveu sobre elas. Dele vem, “Mulheres”:

Elas sorriem quando querem gritar.
Elas cantam quando querem chorar.
Elas choram quando estão felizes.
E riem quando estão nervosas.

Elas brigam por aquilo que acreditam.
Elas levantam-se para injustiça.
Elas não levam “não” como resposta quando
acreditam que existe melhor solução.

Elas andam sem novos sapatos para
suas crianças poder tê-los.
Elas vão ao médico com uma amiga assustada.
Elas amam incondicionalmente.

Elas choram quando suas crianças adoecem
e se alegram quando suas crianças ganham prêmios.
Elas ficam contentes quando ouvem sobre
um aniversário ou um novo casamento.

À você mulher, meu singelo parabéns!

2 Comentários

Adicione o seu

  1. Carol Wieser

    10/03/2010 — 20:17

    Que bonito Paulino…

    Buá, buá, buá (vamos considerar esse choro de felicidade!!!)

    Obrigada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 4 =