Sobre este blog

Sou uma pessoa que você pode amar ou odiar. Escolha uma delas e entre na fila, mas tenha paciência pois ambas as filas são enormes.

Bem-vindo ao blog pessoal de Paulino Michelazzo. Sou consultor web especialista em ferramentas de gestão de conhecimento livre, mas tenho uma veia meio torta no corpo que teima em querer escrever e comentar sobre tudo. Como meu trabalho é diretamente ligado a Internet e dela tiro meu sustento, tenho que manter duas “áreas” distintas para escrita a fim de não misturar os assuntos e canais como muito se observa em outros blogs.

Então este é o blog digamos, pessoal, onde me expresso contra as mazelas do dia-a-dia, coloco os relatos de minhas viagens pelo mundo, meus anseios, meus medos e claro, um pouco de tecnologia mas com cunho pessoal (nada de manuais ou códigos; isso você acha em meu site profissional). Aqui também coloco exemplos de meu principal hobby, a fotografia e os comentários bondosos e maldosos para meus amigos. Então, tudo que é realmente pessoal ou que não pega a estrada do profissional, está aqui.

Para os curiosos (sempre tem), tenho dois maravilhosos filhos, Fabrizzio e Giovanni, que vivem no interior de São Paulo. O mais velho já na faculdade e o menor ainda descobrindo o mundo (se bem que passamos a vida nisso). Além deles, Renata, minha mulher, companheira e amor que sempre me acompanha nos desafios da vida e para quem credito as principais mudanças em minha existência.

Normalmente durmo muito pouco e trabalho bastante, resolvendo problemas que “sobrinhos” teimam em criar para clientes no mundo tudo. Quando não estou enfurnado diante de meus computadores salvando a pátria de outrem, estou viajando pelo mundo, seja a trabalho ou a passeio, mas sempre procurando atingir a meta de vida de ter visitado cem países diferentes (atualmente possuo trinta).

Se ainda não está contente com a descrição “big brother” (vá ser curioso assim na Lua!), clique aqui e deixe o Google responder um pouco mais.

Tecnicidade deste blog

Depois de passar por várias ferramentas de blog, resolvi parar em uma. Desta vez (e espero que seja a última) estou usando a ferramenta WordPress, um software livre voltando a gestão de blogs. O tema (a cara gráfica dele) é padrão do WordPress. Claro que foram feitas adaptações para que ficasse com a apresentação que desejava mas foram somente mudanças cosméticas como tamanho de letras ou cores. O restante, igual ao original.

Não existe nenhuma moderação de comentários neste blog, exceto aqueles que atentam contra o que é natural e correto. Se existem críticas, elas são permitidas como também os elogios. Somente é necessário saber escrever português corretamente e ter vontade de se expressar. A autorização para o comentário aparecer na página pode demorar um pouco por ser uma atividade mecânica, mas sempre vem.

Sobre o uso de textos aqui publicados

Você pode usar os textos aqui publicados como quiser desde que sejam seguidas as regras da licença Creative Commons de Atribuição, Uso Não Comercial com compartilhamento pela mesma licença. Em um resumão, você pode:

  • Copiar, distribuir, executar, chutar, queimar, pintar e fazer o que quiser com os textos;
  • Você pode criar obras derivadas dos textos.

Entretanto, você NÃO PODE:

  • Usar os textos para fins comerciais (se quiser, fale comigo);
  • Usar os textos sem me dar os créditos devidos (Fonte: Paulino Michelazzo – http://www.michelazzo.info);
  • Criar obras derivadas que não estejam sobre esta mesma licença.

Alguns textos, imagens ou vídeos aqui presentes estão sob proteção de outras licenças. Quando for o caso, será explicitado isso.

Simples, fácil, rápido e objetivo, não é?

Finalmente, se deseja entrar em contato particular comigo, clique aqui e preencha o formulário.

Obrigado pela sua visita!

5 Comentários

Adicione o seu

  1. Asta Michelazzo

    09/03/2019 — 19:26

    Olá Paulino, tudo bem?
    Tenho a impressão que já nos falamos antes.
    Meu avô Girolamo chegou ao Brasil em 1881 juntamente com o irmão Vittorio.
    Sim! Com certeza todos os Michelazzo são parentes, me orgulho muito desse sobrenome!
    No Facebook temos uma página dos Michelazzo e estão querendo saber o nome da mãe do Pietro, que era pai do seu Pedro, Amélia, Paulino e Luigi Michelazzo. Esse Paulino seria você?
    Você sabe informar o nome dela?
    Obrigada!
    Abraços!
    Asta Michelazzo.

  2. Carol Wieser

    02/09/2011 — 10:29

    Oi Paulino!!!

    Faz um tempinho que não passo por aqui né? Afff, pode brigar comigo sim, eu vou entender. Ando meio ausente mesmo, mas com a cria pequena ando sem tempo. Mas adorei o novo laiouteeeee, ficou clean e de fácil navegação. Adorei também a forma que os comentários ficaram, queria assim pro meu blog.

    Beijos e super sucesso pra você!! :)

  3. Olá Paulino, lembra de mim, sinto saudade de qdo trabalhávamos juntos, vê se aparece aqui em Campinas, precisamos botar o papo em dia, não sei se te interessa, tenho um filho maravilhoso, o Leo, como vai o seu filho Fabrício, mande lembranças, espero retorno, abraço…

  4. Pesquisando Los Roques/Venezuela, descubro você!
    Também com milhas para aproveitar, desejava saber como me virar em Caracas. O seu relato sobre o aeroporto venezuelano provocou-me ataque esquizofrênico: fiquei entre o pânico e as gargalhadas. Porém, ao final, acabo entrando na fila daqueles que escolheram amar você!
    Mas não se anime: sou uma senhora sexagenária,que também usa o truque da cadeira de rodas, especialmente quando faz conexão no aeroporto Charles De Gaulle. Ali todo mundo se perde, até piloto da Air France. Exceto eu: uma comitiva de franceses e senegaleses sempre me conduz em confortável cadeira até uma van – exclusiva! – rumo ao terminal de embarque (que fica onde Napoleão perdeu a guerra).
    Também sou curiosa: vi que você fêz trabalho para empresa de Ribeirão Preto. Por acaso é parente do jornalista Luiz Augusto (Guto) Michelazzo? Miché, como todos o chamavam, foi meu colega no clássico. E faz dééééééééécadas que não o vejo… Deve ser seu parente: escrevia tão bem quanto você, sempre com humor inteligente e escrachado, além dos impagáveis palavrões.
    Ainda xeretando no seu blog, vi que está trabalhando num projeto para o Paulo Tadeu (nasci em Ribeirão, mas moro em Brasília desde que passei em concurso para a Câmara Distrital. Daí posso dizer que você escapou por um triz: Paulo Tadeu é um dos poucos deputados distritais que não envergonham a cidadania).
    Bom, chega de tró-ló-ló. Vou cuidar da minha viagem para Los Roques (Chaves, que me aguarde! Com cadeira de rodas, de preferência heheheheh), mas continuarei sintonizada aí no seu blog.

    Abração,
    Ana Maria

    • Querida Ana Maria, bom dia

      Há muito não recebia uma mensagem tão interessante e tão gostosa de se ler. Tanto que demorei para escrever pois queria tempo tranquilo para fazê-lo.
      Claro que precisamos usar dos artifícios que temos para, sem comprometer a ordem das coisas e passar por cima do bom senso, conseguir resolver situações das mais diversas. E tenho que confessar que o “golpe da cadeira” em Paris seria, para mim, algo digno de riso durante muito tempo. Esta história certamente vai ficar gravada e não se espante se dia destes encontrar referência dela em algum de meus escritos; com certeza será a lembrança dela que veio novamente a tona para de forma simples explanar algo complexo (normalmente uso destes subterfúgios da linguagem, é mais fácil para os cabeças-ocas que povoam as terras de cá entenderem).

      Certamente o jornalista é parente. Vieram somente 3 irmãos para o Brasil que formaram 3 ramos da família, diferentes. Um em Amparo, o primeiro e mais pobre, e de onde venho (tinha que ser, claro!); outro em São Paulo e outro em São João da Boa Vista. Então, tudo o que tem de michelazzo nesta terra é, de uma forma ou de outra, parente. Não os conheço, confesso, porque família tem horas que dá vontade de colocar no paredão e como tenho uma vida um pouco atribulada, deixo para o acaso operar o encontro.

      O Paulo Tadeu parece-me ser boa pessoa. Dois de seus mais próximos são amigos meus e o trabalho foi feito “pela causa”. Mesmo não votando (não consigo pactuar com o lixo existente), creio que é boa pessoa. Pelo menos meus amigos são até que alguma CPI prove ao contrário. Vamos ver :)

      Aproveite Los Roques. Tenho uma amiga viajante que já esteve lá e pode lhe ajudar muito. É um doce de pessoa. O nome dela é Carol e a encontra em http://travelforever.com.br/ e pode ser achada no Twitter em http://twitter.com/travelforever

      Beijos, fique bem e dê notícias. Certamente vou adorar saber as andanças pelo mundo ;)

      Paulino

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 4 =