Categoria: Sexo

Nada de boquete

Eu morro acreditando que não terei visto toda a capacidade humana da falar asneira. Leia Mais

Pneus? E dai? Até a Playboy já teve

anorexiaVi na Folha: foto de modelo com “pneuzinho” gera elogios nos EUA. Claro, mais que rápido fui verificar e… não é que a loira está bem?

Particularmente não consigo entender a busca incansável do mulherio pelo “tanquinho” (quer tanquinho, compre um no material de construção) ou ainda pela anorexia desenfreada. Claro, um dos principais motivos, sem dúvida, são as revistas de estética e de “beleza” que pregam o padrão “madeirith” para todas. E as fofinhas? Morrem de desgosto porque acreditam que vão estar sempre “em segundo plano”. Besteira. Comprovadamente existe uma tampa para cada panela do mundo, por mais torta e amassada que esteja. Quer prova? Vá em um ponto de ônibus do centro de uma cidade grande qualquer e observe como isso é verdade.

E vez enquando observo edições da famosa revista Playboy de diversos países do mundo e de diversas épocas da históra (thanks torrent!) pois algumas vezes aparece uma ou outra reportagem interessante. Até mesmo a número 1 editada nos EUA tenho. E o que percebo nelas:

  • as revistas antigas ainda tinham o padrão de beleza com pneuzinhos (consegue imaginar a Marily Monroe seca?);
  • as revistas mais novas tem costelas demais
  • as revistas alemãs não tem mulheres, só carros
  • as revistas italianas vendem ternos a rodo (até para mulheres)
  • as revistas francesas pensam que nu é coisa de museu
  • as revistas do leste europeu não conhecem pessoas que não sejam brancas
  • as revistas da Ásia são tão ousadas e excitantes quanto um catálogo de lingerie da C&A

No frigir dos ovos penso que feliz é o Maluf que produz eucatex até cansar e pode, de uma hora para outra, mudar o objeto final da empresa: vender mulher “tábua”. Lamentável!

Tapa-“sem vergonha”

Uma bela lentePara certas coisas sou um cara extremamente antiquado e não tenho vergonha disso. Prefiro móveis antigos aos moderninhos de MDF, prefiro o velho e bom guaraná às águas cheirosas e refrigerantes “zero”, prefiro carros “de velhos” aos mais arrojados. Claro, tenho o outro lado também que é gostar da tecnologia que tudo tem de moderno. Mesmo amando telegrafia feita com QRP’s (transmissão de sinais com 5 watts ou menos), não dispenso um bom Kenwood para berrar em tudo que é lado e adoro meu iMac, meu iPod e fico fascinado com controles remotos cheios de botões.

Na lista do “antiquado” tenho algo muito forte também que é “moda”. Odeio moda, odeio revista de moda e odeio gente que adora moda. Acho a coisa mais bizarra você ter que se adequar aquilo que meia dúzia de histéricos acreditam que é bacana. E a moda como sempre, sai com mais uma coisa bizarra: o “tapa-cofrinho”.

Antes de continuar, explicando o “cofrinho”…

Ao contrário do que tinha na minha época de criança, cofrinho não é mais aquele porquinho de plástico azul ou ainda aquele redondo de papelão e lata da poupança Haspa (lembra-se disso?). Atualmente cofrinho é o nome carinhoso para o rêgo. Sim, isso mesmo, aquela vala que fica entre as nádegas e que se torna mais profunda a medida que o dito ou a dita enchem o rabo de pástico. Esta parte do corpo foi assim apelidada pela analogia de se colocar moedas dentro. Tudo bem, não consigo compreender isso pois não é lugar para moedas, mas enfim.

Voltando…

A moda inventou então um tal de “tapa-cofrinho” que nada mais é que um pedaço de pano amarrado na cintura com a finalidade de esconder o dito cujo dos olhares mais interessados. Também, como diz a reportagem da Folha, algumas mulheres estão usando a nova invenção para esconder nádegas avantajadas destes mesmos olhares.

Não tive oportunidade de ver tal peça do vestuário feminino mas penso que seja algo como uma fralda amarrada na cintura e usada por aquelas que amam as tais calças de cintura baixa. No mínimo, ridículo para não dizer ignóbil.

Fiquei pensando o que se passa na cabeça tanto de quem inventou mas também de quem usa (diz a reportagem que uma loja em sampa já vendeu mais de 2 mil peças). Não é um pedaço de pano que vai esconder aquelas ancas (desejadas ou não) da verdadeira mulher brasileira e penso ser mais prático e coerente usar uma calça normal que a fralda. Tão simples; para quê complicar?

Se quer usar a calça baixa, deixe o cofrinho aparecer oras. Quem sabe não aparece alguém para colocar na poupança?

Sexo 24×7

RobôSei que o assunto é recorrente mas é preciso comentar. Mais uma vez fico estarrecido com a genialidade do ser-humano. Quando se presta para fazer coisas ruins, as faz com uma destreza impressionante. Mas quando dá para fazer coisas boas, não existem limites.

E não é que um sujeito lá na França acredita piamente que em quarenta anos estaremos (eu não, infelizmente) fazendo sexo com máquinas! Louco não é? Pois é, o carnaval nunca mais será o mesmo. Sai a globeleza e entra e roboleza, muito mais sarada, muito mais gostosa e além disso tudo, nonstop! E na Bahia então? Fará um sucesso tremendo já que a dita será movida a energia solar. Como baiano tem sol que não acaba mais, ela vai poder pegar duas semanas de folia sem cansar.

Mais interessante ainda é que já existem projetos em andamento sobre o assunto. Uma empresa japonesa (tinha que ser deles) criou uma boneca daquelas infláveis com gemidos e sussuros. Você dá uma mordiscada no peito da oriental, ela geme e fica sussurrando em seu ouvido. Tudo bem que deve falar aquela coisa incompreensível mas como nunca reclama, vale a investida. O que fico com medo é se passar a mão no traseiro e ela resolver distribuir tapas. Meu amigo, o que vai ter de gente com cara quebrada…

Mas as mulheres não precisam ficar tristes pois também existirão homens robôs, daqueles que limpam a casa, lavam a louça, passam, cozinham e estão sempre armados para qualquer coisa. A principal vantagem é poder programar quantos minutos deseja de preliminares, quantos de ato e, finalmente, quantas vezes mais. Sem frustração, sem reclamação, sem nada!

E depois ainda dizem que a informática causa problemas.

Tenha um infarto você também

CoraçãoEu já resolvi. Semana que vem meu irmão mais novo precisa ir ao cardiologista para fazer suas revisões periódicas do coração devido a um defeito de fabricação e vou com ele. Não que eu tenha problemas, longe disso, mas quero do médico uma receita igual as aviadas pelo serviço de saúde britânico.

Não está entendendo nada? Tudo bem, explico. O SUS da Inglaterra (aquele continente ao lado da Europa como eles insistem em chamar) anda fazendo a alegria de muita gente. Contra doenças do coração, faça sexercise. Não entendeu de novo? Ó santa ignorância. É para fazer sexo meu filho!!!!!

Claro que fiquei ressabiado quando li pois os ingleses são conhecidos por não exporem a intimidade muito facilmente (exceto quando cai nas mãos do The Sun, aí lascou-se), mas lendo a reportagem publicada hoje pela Folha tive que dar créditos a matéria; foram contatados especialistas da USP e Unicamp, as melhores universidades da América Latina para falar sobre o assunto e todos foram unânimes: eles estão certosl exercícios sexuais reduzem os problemas do coração.

O melhor da história não é a redução das doenças mas sim, para aqueles que possuem problemas com o/a companheiro/a, é arrumar uma forma de deixar qualquer desculpa de lado. “Meu bem, sou cardíaco e preciso dar uma. Olha aqui a receita do médico”. Quero ver se dor de cabeça ganha da receita do cardiologista.

E o que vou fazer no médico? Ora, já pegar a receita né. Vai que acontece algum piripaque :-)

Sexo seguro

Assim não quero não. Deve dar uma dor nas costas…

Sexo seguro

Entendendo o homem moderno

Almanaque do Macho ModernoEm minhas andanças pela web encontrei algo interessantíssimo para as mulheres. Trata-se do Almanaque do Macho Moderno. Um verdadeiro compêndio que trata deste assunto numa forma assustadoramente verdadeira e muito engraçada sobre o que é o homem moderno, ajudando inclusive a entender o que são as novas categorias de “machos” como metrossexuais, bissexuais e outras coisas meio, digamos, estranhas.

Só por favor, não leve muito a sério pois mesmo sendo fatos, a narrativa foi amenizada pois na verdade, é muito pior :-)

O almanaque pode ser obtido clicando-se aqui.

Have fun!