Geisy para diretora de criação

Claro, até eu tinha que comentar sobre o caso da Uniban. Ou melhor, burraldinos da Uniban. Sim, burraldinos porque depois de todo o escândalo montado, mandar a “minina” embora é de uma estupidez sem limites (muito bem descrita inclusive no texto de Hélio Schwartsman na Folha de hoje).

Para falar a verdade, eu queria contratar a Geisy para a área de marketing da empresa. Ela não deveria estar fazendo turismo, mas sim empregada em uma grande agência de publicidade como diretora de criação. Quer ver porque?

A mocinha, feinha de dar dó (coitada), posa de gatinha para os marmanjos e incita o restante da mulherada menos dotada;

Arruma uma confusão, vai parar no horário nobre da TV e ganha advogado de graça

Aproveita-se da burrice da faculdade e vai parar na mídia internacional

Ganha um contrato para posar na Playboy

Ganha a bolsa de estudo de qualquer faculdade (privada, claro) que quiser estudar

Mobiliza OAB, direitos da mulher, estudantes, UNE, governo e até mesmo ONG’s dos pandas da China.

Resumindo, somente com seu “charme”, entra na mídia nacional e mundial, mobiliza todos os setores da sociedade e ainda põe uma grana no bolso.

É ou não é uma pessoa para ser diretora de criação?

4 Comentários

Adicione o seu

  1. Eder L. Marques

    09/12/2009 — 19:22

    Boa argumentação. E ai, ela começa na fabrica livre quando?

    Abs.

  2. Falhou nda… a bixinha é feinha mesmo!!! kkkkkkk

  3. Hugo Seabra

    12/11/2009 — 11:41

    É… apesar da ‘forçaçãozinha’, considero que há uma lógica no seu texto. =D

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 4 =