Dicas para comprar passagens aéreas

Categoria(s): Viagens

Muitos reclamam com razão dos preços de passagens aéreas no Brasil. Algumas vezes é mais fácil e barato ir para fora do país que para qualquer destino nacional. Mas para o exterior também ocorrem situações onde pode-se pagar muito mais caro por uma passagem sem necessidade. Como a passagem aérea é uma das partes mais caras de uma viagem (senão a mais cara), sempre é bom economizar para gastar com outras coisas (aquelas camisas “estive em … e lembrei-me de você”). Aqui compilo algumas dicas para comprar passagens aéreas aprendidas na experiência de anos viajando pelo mundo e sempre economizando o máximo possível em voos.

Observação: você pode fazer o download deste guia com “dicas para comprar passagens áreas” em formato PDF aqui.

Para onde

Nordeste, Caribe, Nova York, Europa, África, Ásia. Lugar no mundo não falta para viajar, existindo atrações e destinos para todos os gostos, bolsos e “sacos”. Não vou discutir qual é melhor ou pior, mas sim mostrar como é possível economizar com pequenos ajustes em itinerários para chegar ao tão sonhado destino.

Onde o sol nasce primeiro

João Pessoa é uma cidade linda, aconchegante, calorosa mas as vezes esquecida por estar entre dois fortes destinos turísticos do nordeste (Recife e Natal) e também por não receber tantos voos como suas vizinhas. Esta situação faz com que passagens para “jampa” fiquem mais caras mas não necessariamente você precisa pagar mais para chegar lá.

Voos comparativos partindo de Congonhas/SP (clique para ampliar)

Voos comparativos partindo de Congonhas/SP (clique para ampliar)

Observe na imagem anterior que o aeroporto de origem é o mesmo (CGH – Congonhas/SP), as datas são as mesmas mas muda-se o destino. No primeiro, João Pessoa (JPA) enquanto no segundo, Recife (REC). A diferença entre os voos é de R$ 367,00, o que não é muito mas paga tranquilamente o translado de van entre elas (cerca de 1 hora e meia) e ainda sobra algum para uma cerveja no Cabo Branco.

Bali – A Ilha dos Deuses

Eu realmente gosto de Bali. Tanto é verdade que já morei na ilha por um período e a visitei algumas outras vezes. É um lugar mágico, interessante e principalmente barato. Mas chegar lá não é tão barato pois fica do outro lado do planeta. Será mesmo? Vejamos.

Voo Guarulhos/Bali pela Emirates

Voo Guarulhos/Bali pela Emirates

Pagar R$ 6.625,00 pela Emirates tira a vontade de qualquer um surfar no Oceano Índico. Mas dá para melhorar? Vamos ver.

Guarulhos/Bali pela Emirates + AirAsia

Guarulhos/Bali pela Emirates + AirAsia

Nada mal não é mesmo? R$ 2.522,69 de diferença paga toda a estadia em Bali num hotel 4 estrelas com café da manhã, almoço e jantar em qualquer restaurante bacana e com certeza vários passeios legais.

A economia deu-se da seguinte forma: em vez de escolher um voo até o destino final (Denpasar – Bali), foi escolhido um até a capital da Indonésia, Jakarta (CGK) e lá se pega outro voo numa companhia low-fare (AirAsia) que possui um custo muito mais baixo, gerando esta enorme diferença.

Por que isso acontece? Explico: no Brasil não existem companhias conhecidas como low-fare tão comuns na Europa e Sudeste Asiático. Existem companhias low-service que cobram absurdos e não oferecem nada. As companhias low-fare são conhecidas por vender passagens extremamente baixas porque cobram tudo; comida, assento diferenciado, preferência na entrada no avião, bagagem, etc. No Brasil não é diferente. Tam e Gol já fazem isso mas com uma diferença: as passagens continuam com o preço na lua.

Esta dica vale para todos os mercados (exceto para o Brasil) e o desconto pode ser enorme se souber procurar corretamente. Porém, existem riscos nesta operação de redução do valor, que são:

  • Atrasos → quando uma passagem é comprada numa única companhia ou numa aliança de companhias, se ocorrerem atrasos de quaisquer tipo (tempo, aeroporto fechado, imigração, etc), o viajante é re-acomodado noutro voo sem custo algum. No caso de bilhetes comprados separadamente, se ocorrer um atraso, o viajante terá que arcar com algum custo adicional que pode não valer a pena no final.
  • Bagagem → para aqueles (principalmente aquelas) que levam a casa nas costas, pode ser um problema usar companhias low-fare pois elas cobram adicional no peso da bagagem. Como exemplo, se você tem franquia de bagagem para a Ásia de 2 malas de 32 quilos e quer chegar em Bali com estes 64 quilos, pagará um adicional de US$ 37,00. Não é muito mas o valor varia de companhia para companhia.

Para tentar estas reduções no Brasil, é preciso verificar se o valor que será pago para um translado como no exemplo, de Recife e João Pessoa, vale a pena não só financeiramente mas também por cansaço. Vez ou outra é possível abrir mão do conforto e tranquilidade e noutras não.

Datas

A data da viagem é muito importante na compra de uma passagem aérea. Ao contrário que se pode imaginar, não é somente a distância entre dois pontos que faz uma passagem ser mais cara ou mais barata. Outros fatores que somente as companhias aéreas conhecem totalmente, fazem com que os preços flutuem bastante entre elas e de forma bizarra, também dentro da mesma companhia. Dentre estes fatores estão a época do ano, proximidade da viagem, horários, etc. Então veja mais uma das dicas para comprar passagens aéreas na imagem a seguir:

Comparativo de voos

Comparativo de voos

Estranho não? No primeiro voo são quase 17 mil quilômetros custando 23 mil reais enquanto no segundo são 24 mil e quinhentos quilômetros pela “bagatela” de 4 mil reais. Observe que a companhia, a classe e as datas são as mesmas. O que muda é somente a conexão, nada mais.

Os motivos para este disparate são vários. Tipo de conexão, frequência do voo, número de viajantes, destino e até mesmo as aeronaves usadas. Tudo isso influi no valor final e por isso é preciso se ater aos detalhes (a mesma passagem para Berlim pela AirFrance sai por R$ 2.455,00), procurando o melhor preço em diferentes companhias e em diferentes trechos (mais adiante escrevo sobre isso).

Ainda sobre as datas, se você viajar um dia antes de um feriado ou mesmo no dia do feriado, a passagem estará mais cara que noutros dias. Isso é uma regra de mercado e não mudará. Mais procura = maior valor. Desta forma o melhor a fazer é viajar antes do feriado ou no meio dele (o que não tem muita lógica, convenhamos).

Voos Azul Carnaval 2014

Voos Azul Carnaval 2014

Mas esta regra pode ser quebrada com planejamento. Se você tem (olha o pleonasmo) “absoluta certeza” que viajará no feriado, procure adquirir a passagem com pelo menos um mês de antecedência em voos nacionais. Os preços são melhores e normalmente as companhias fazem boas promoções (mas não é regra). A figura acima mostra dois voos partindo de Campinas (VCP) para o Recife (REC); um no carnaval de 2014 e outro uma semana antes. No primeiro, R$ 560,00 enquanto no segundo o valor vai para R$ 2.395,00 (a mais barata).

Para o exterior esta regra também se aplica, porém o tempo de antecedência deve ser maior. Da mesma forma é preciso tomar cuidado com a sazonalidade, ou seja, em feriados e altas temporadas o valor é mais alto. Além disso, com algumas combinações de dias diferentes é possível conseguir uma passagem muito mais em conta. Veja:

Voo GRU - BKK (clique para ampliar)

Voo GRU – BKK (clique para ampliar)

Dica genérica sobre datas (e horários): é comum ser mais cara uma passagem em sexta-feiras e domingos que no meio da semana. Se você está em férias ou tem flexibilidade, procure passagens nas terças ou quarta-feiras. Elas são frequentemente mais baratas. O mesmo acontece com passagens no meio do dia, as quais normalmente são mais baratas por terem menos procura.

Onde comprar

Antes da internet passagens aéreas eram compradas em agências ou diretamente na companhia. Hoje proliferam os sites onde é possível pesquisar os melhores preços, horários e destinos sem necessidade de intervenção humana, o que é realmente muito bom, mas existem formas e formas de buscar a melhor passagem na internet e nem tudo aquilo que acredita ser maravilhoso é realmente.

Decolar, Mundi, Submarino e outros

Eu realmente não gosto destes sites, os quais utilizo somente para fazer buscas básicas atrás da melhor tarifa. As taxas cobradas por eles são absurdas, as políticas de cancelamento são draconianas e no resumo eles servem só para eles ganharem dinheiro.

Comparativo voos nacionais

Comparativo voos nacionais (clique para ampliar)

Na figura anterior escolhi os mesmos voos e datas nos sites da Gol, do Decolar e do Submarino. A diferença chega a 17,10% para mais.

E quando a história é passagem internacional?

Comparativo voos internacionais (clique para ampliar)

Comparativo voos internacionais (clique para ampliar)

A porcentagem de aumento é menor mas assim mesmo, grande.

Então fica mais uma das dicas para comprar passagens aéreas: nunca, NUNCA acredite que você está tendo alguma vantagem em usá-los, seja por comodidade de parcelamento ou por segurança. Tudo aquilo que parece vantagem é na verdade um engodo que pode inclusive lhe trazer problemas como por exemplo, as taxas cobradas em caso de cancelamentos ou alterações estes sites cobram, além daquilo que é cobrado pela companhia aérea, a título de “consultoria e orientação ao passageiro”. Fuja deles como o diabo da cruz!

Menos opções

Outro problema com estes sites é a baixa opção de companhias. Como eles precisam firmar acordos com as companhias aéreas e nem todos os fazem, o viajante pode ficar sem as melhores opções de voos. Novamente, um exemplo:

Opções de voo pelo Decolar para NYC (clique para ampliar)

Opções de voo pelo Decolar para NYC (clique para ampliar)

Opção de voo pela American Airlines (clique para ampliar)

Opção de voo pela American Airlines (clique para ampliar)

Observe que o Decolar não possui a opção de voo pela American Airlines (estão em pé de guera) e que para a mesma data e destino, foi encontrado um voo mais barato diretamente no site da companhia.

O que fazer?

Quais são aqui as dicas para comprar passagens áreas baratas? Mais pesquisa :)

O site openflights.org é um imenso banco de dados que contém mais de 59 mil rotas entre 3200 aeroportos do mundo. Nele é possível pesquisar quais são as rotas existentes a partir de um aeroporto e também quais as companhias que as operam. Com essa informação, basta visitar os sites das companhias procurando o melhor preço.

Mas ele nem sempre resolve, sendo necessário usar um pouco de bom senso. Se fará uma viagem entre São Paulo e Buenos Aires, é ilógico procurar passagem na Aeromexico. Além disso, alguns voos somente são abertos em temporadas e isso dificulta, mas nada que seja impossível realizar.

Dicas para compras passagens aéreas baratas – Resumo

Aqui um resumão das informações descritas (para aqueles que não querem ler tanto):

Para onde

  • Procure opções alternativas de aeroportos ou de translado;
  • Procure opções alternativas de companhias aéreas, fazendo um mix entre diferentes companhias para um mesmo destino;
  • Cuidado com a compra de passagens em diferentes companhias. Podem ocorrer atrasos e perda de conexão entre os voos. Também verifique se vale a pena a diferença de preço pelo que pode pagar de taxas adicionais (bagagem, extras, etc). Pode não valer a pena.

Datas

  • Procure sempre viajar fora de temporada ou feriados e datas festivas (carnaval, natal, virada do ano, etc). Os preços sobem com certeza;
  • Se tem flexibilidade, tente voos no meio da semana. São mais baratos;
  • Faça testes com dias diferentes. Muitas vezes um dia pode mostrar diferenças enormes nos valores de passagens;
  • Compre com antecedência para aproveitar promoções.
  • Procure passagens no meio do dia. Na maioria das vezes são mais baratas que as passagens no começo da manhã e começo da noite.

Onde comprar

  • Fuja de sites como Decolar, Mundi e Submarino e faça a verificação de valores e voos diretamente nos sites das companhias. Os preços são melhores e você não precisa pagar taxas adicionais em casos de cancelamento/alteração de voos;
  • Procure as rotas no openflights.org para descobrir quais as companhias operam o destino que deseja e depois acesse os sites das mesmas para verificar os valores;
  • Use o bom senso para as rotas. Algumas companhias não possuem rotas diretas entre os pontos que deseja mas podem fazê-las com conexões.

No próximo post da série, milhas aéreas.