Não quero mais pastel, quero supermercado

Ano passado escrevi num outro texto sobre minha idéia de vender pastel mas confesso que depois deste final de semana esqueci isso, esqueci a informática e resolvi que vou montar um supermercado. Não acredita? Vou explicar porque.

Fui, como todo integrante da classe média brasileira, fazer o “mercado” mensal numa loja da rede de supermercados Extra pertencente a família do Abílio Diniz. Sabadão, supermercado cheio de gente, um calor de rachar em sampa mas tudo bem, se não vou, não tenho o que comer e então, toca fazer a bendita.

Na hora do pagamento comecei a perceber diferenças de preços em alguns produtos. Mesmo não sendo uma pessoa que anota cada um dos valores (prática que vou adotar a partir da próxima compra) tenho uma memória fotográfica que foi acionada e começou a pegar estas divergências. Comecei a questionar o caixa e ele simplesmente abria uma outra “janela” no programa, digitava o valor que eu tinha dito e voilá, estava alterado para o preço que falei.

Até aí tudo bem mas fiquei com aquela coisa na cabeça e comecei a fazer contas. Quando minha compra foi encerrada, a diferença foi de 2 reais ou mais ou menos 1% do valor gasto. É pouco, claro que sim. Mas agora vamos entender porque quero montar um mercado.

Digamos que numa destas grandes lojas passem mil clientes/dia (fácil) e que cada um tenha uma diferença, um pelo outro, de 2 reais. Então temos 2 mil reais sendo roubados dos clientes por dia. Se computarmos 30 dias (mercado não fecha nos finais de semana e tampouco nos feriados), são 60 MIL REAIS por loja de roubo dos clientes. Então para quê vou trabalhar se posso viver do roubo consentido?

Questionando a pessoa do caixa sobre o assunto e porque isso acontecia, ele me sai com uma pérola daquelas: “todo o dia a matriz altera os produtos no sistema e o funcionário “esquece” de alterar o preço na gôndola”. Meu amigo, esquecer um produto, vá lá mas esquecer 10, 20, 30? Estranho não?

O que me deixou estarrecido de verdade foi a telinha de “ajuste de preço sistema X gôndola”. Se não fosse uma prática considerada normal, para quê existiria tal tela? Assalto descarado ao consumidor.

Então, já esqueci a idéia de vender pastel na feira. Vou é montar um supermercado e roubar você para em dois meses comprar uma lancha bacana e passear em Angra.

6 Comentários

Adicione o seu

  1. Olha… bota descaramento nisso!!!
    E se fosse só mercado já seria trágico, imagina tbém nossas contas de água luz telefone, existem valores que ninguém explica.

    Abraço

  2. se tiver alguem que quiser comprar um mercado eu tenho para vender.

  3. Arnaldo Gonçalves

    02/12/2009 — 12:53

    È verdade mesmo, os donos de supermercados ficam milionários mesmo com tanto roubo nos preços das mercadorias! Você vai hoje no mercado a verdura está um preço, dai você volta amanhão ja está outro as vezes menor porque dizem que está em oferta, ou as vezes acima do preço porque dizem que os fornecedores subiram a mercadoria,São uns cara de Pau deslavados!

  4. Karina Gonçalves

    02/12/2009 — 12:31

    Você tem toda razão, também penso assim! Eles roubam demais descaradamente!

  5. nelson baeta - brasilia

    20/08/2009 — 21:45

    caramba ainda bem que fiquei sabendo sua maldade ,não vou comprar no seu mercado nunca,vou é comer pastel.

  6. João David

    20/02/2009 — 18:46

    Aqui em BH é a mesma coisa, o Extra sempre tem preços estrategicamente com pequenas variações para mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 5 =